ANJOS E DEMÔNIOS



Não somos anjos e nem demônios, somos os dois (Carl Jung).
Assim começo a escrever o texto de hoje com esta frase de Jung que caracteriza bem quem somos.

Antes de tudo é bom esclarecer que é isso que nos torna seres humanos cheios de contradições, cheios de amor e muitas vezes coléricos com algo que deu errado.

Os demônios que se apresentam mais fortes em algumas pessoas do que em outras chama-se sombra coletiva, que é o nosso lado negativo que tanto queremos esconder.

E quanto mais escondemos pior fica a situação. Já os anjos interiores são responsáveis pelo nosso bem-viver conosco e com os outros.

Travam uma guerra infindável com a sombra já que esta requer um pouco mais de atenção e força de vontade daquele que comumente a desafia, o que não é uma boa estratégia.

Aquela figura de desenho animado no qual um anjinho fica de um lado do ouvido enquanto o anjo do mal fica do outro lado é apenas para casos de elucidação, e quem não sabe disso não é?

Mas por falar em elucidar, toda a legião que habita em nós requer o máximo de cuidados, haja vista se formos bonzinhos demais, seremos constantemente pisados pelos outros sem dó nem piedade.

Ao passo que se formos maus seremos a própria escória da humanidade que agoniza em busca de uma pitada de aconchego espiritual.

E aí? Equilíbrio. Esta é a palavra chave que define todo este texto, seja amigo dos dois, escute os dois e tire suas próprias conclusões, pois o que for melhor para você um dos anjos dirá. Sua consciência.

Precisamos ser boas pessoas e não bonzinhos. Entenda a diferença: o bom toma doses enérgicas que até podem ferir este ou aquele, mas ele ajuda em prol dos que estão ao redor.

Já o bonzinho cansa a gente, está sempre querendo ser a madre Teresa de Calcutá do século XXI a todo momento, e faz mais isso para aparecer, aí já quem está agindo neste momento? O anjo malvado.

Veja que tudo pode parecer uma questão de como agir, e uma questão de interesses que há por trás de cada ação que praticamos, concorda?

O anjo malvado ou o anjo do bem repare que são todos anjos, mas cada um com suas especificidades, e que por trás de todo sorriso nem sempre esconde alguém amável, carinhoso, gentil, pode esconder um tridente pronto para nos atacar.

Anjos e demônios formam o nosso caráter. Resta saber quem predomina, qual força nós mais alimentamos e o que nós fazemos para que estes anjinhos rebeldes não tomem espaço demais em nossas vidas, afinal de contas somos responsáveis por nossos próprios atos, ou será que não? Ainda resta alguma dúvida?

Até a próxima,


Randerson Figueiredo.   

Randerson Figueiredo

Sou um entusiasta da escrita, meu objetivo com este blog é divulgar de forma simples e dinâmica filosofia, espiritualidade e psicologia analítica e levar a você, caro leitor, o que há de melhor nestas três esferas de conhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;